A Batalha Inevitável

a batalha inevitávelInspirado por biografias de grandes célebres que lia na Wikipedia, o autor australiano Gavin Aug Than criou coragem para ir em busca do que queria fazer de verdade. Designer gráfico durante oito anos, Gavin abandonou o emprego para se dedicar às suas verdadeiras paixões: ilustrar, ação e cartum. Nunca mais olhou para trás.

As citações, a aptidão para o desenho e a vontade de compartilhar sua paixão com os outros levaram-no a criar o site que agora é reconhecido mundialmente. O Lápis Zen (Zen Pencils, no original) foi destaque nos principais jornais e nomeado um dos 100 melhores sites de 2013 pela PC Magazine.

O Lápis Zen possui atualmente mais de 140 quadrinhos, resolvi fazer uma série de postagens das histórias que mais combinam com o conteúdo do Despertar Coletivo, que também são as minhas favoritas. São quadrinhos inspiradores e repletos de ensinamentos profundos, todos eles foram traduzidos e adaptados pelo pessoal do Outros Quadrinhos, lá você também encontra outros HQs incríveis, não deixe de conferir.
 
A nona tirinha da série foi inspirada em Jesse Owens (1913-1980). Ele foi um atleta afro-americano que virou lenda dos esportes durante a Olimpíada de Berlim de 1936. Adolf Hitler e seu partido nazista estavam no poder há três anos e os jogos de Berlim eram a forma perfeita de demonstrar o poder e eficiência do novo regime político alemão. Hitler acreditava que a raça ariana era superior a todas as outras e estava torcendo para provar sua teoria nos jogos de Berlim. Mas Jesse Owens acabou com a graça do nazista ao ganhar quatro medalhas de ouro nos 100 e 200 metros rasos, no salto em distância e no revezamento 4x100m.

Embora Hitler tenha desprezado Owens, Luz Long, atleta estrela da Alemanha e garoto-propaganda dos arianos, fez amizade com Owens e os dois tinham respeito mútuo. Owens acabou vencendo Long no salto em distância e disse posteriormente: “Você pode derreter todas as medalhas e taças que eu tenho e elas não dariam nem para folhar a amizade 24 quilates que eu tinha com Luz Long. Hitler deve ter ficado louco quando nos abraçamos. O triste é que nunca mais vi Long. Ele foi morto na Segunda Guerra Mundial.”

Apesar de suas conquistas, Owens ainda sofria discriminação racial quando voltou para os EUA. Ele não recebeu nenhum contrato de patrocínio, teve que se envolver com outros serviços para pagar as contas e viu-se até forçado a desafiar cavalos em corridas para ganhar dinheiro.



 

A Batalha Inevitável

A reação de Hitler diante das vitórias de Jesse Owens:

Compartilhar: