Como largamos o vício de pensar?

“Talvez o pensar compulsivo seja o mais terrível e escravizante de todos os vícios. Pior do que cocaína ou heroína, pois esse vício nos rouba de nós mesmos.

A maioria de nós é incapaz de parar de pensar. Então, “pensamos”, racionalizamos e nos auto-justificamos dizendo a nós mesmos que somos “livres pensadores”! Que escolhemos livremente os nossos pensamentos. Isto é auto-engano, pois se não podemos nem ao menos silenciar a mente, então, como poderemos escolher o que pensamos? Não seremos “livres pensadores” enquanto nossa mente não estiver completamente sob nosso domínio!

pensarO pensar compulsivo, rouba-nos a nossa própria Alma – e com Ela, a serenidade, o discernimento e a sabedoria. Os pensamentos compulsivos apossam-se de nossa mente. Tornamos-nos, assim, reféns e vítimas de nossos próprios pensamentos incontroláveis.

Nossa mente é a ferramenta mais poderosa dentre todas as que dispomos. Sem o controle de nossa mente, tornamo-nos joguetes de nossos pensamentos e emoções inconscientes – e assim, fazemos o mal que não queremos, enquanto que o “bem” que desejamos, somos incapazes de fazer.

Mas não é só isto! Em ocultismo e metafísica, diz-se que os pensamentos têm poder! Plasmamos a realidade a partir dos nossos pensamentos e sentimentos. Portanto, ao perdermos o controle de nossa mente – perdemos o controle sobre o nosso destino e sobre o nosso futuro. Inconscientemente, semearemos indesejáveis efeitos – que fatalmente haveremos de colher – Ao colocarmos em ação a Lei de Causa e Efeito – Lei do Carma – nos atamos a um destino inexorável – que forjamos inconscientemente.”

Esta é uma das opiniões do autor de O Poder do Agora à respeito do pensar compulsivo. Segundo Eckhart Tolle muitas pessoas são viciadas em diversas coisas e substâncias, mas um dos piores vícios ou o maior vício nunca antes citado é o de pensar. É realmente instigante não conseguir parar de pensar, atualmente milhares de pessoas são viciadas em pensamentos e não sabem.

Mas como parar? Como largar o vício de pensar?  

Veja a resposta na íntegra:

 

Compartilhar: