Fight Club – Clube da Luta

fight club1Fight Club (br: Clube da Luta) é um filme norte-americano de 1999, que trata sobre a sociedade atual de uma maneira nada convencional. Ao contrário do que muitos pensam o filme não se trata de pura violência, nem a banaliza. Clube da Luta é um filme ideológico, com uma crítica bem ácida sobre a sociedade moderna. A sua interpretação sobre a mensagem do filme não deve ser tomada como definitiva, assim como qualquer obra de arte, tudo está disposto a várias interpretações.

O filme é baseado em romance homônimo de Chuck Palahniuk, publicado em 1996. O filme é protagonizado por Edward Norton, Brad Pitt e Helena Bonham Carter.

Sinopse:
Jack (Edward Norton) é um executivo neurótico que tem uma vida extremamente monótona, trabalha como investigador de seguros de uma empresa de automóveis e busca no consumo a satisfação pessoal. Vive uma vida “confortável”, mas sua ansiedade o faz criar situações que o levam a conhecer pessoas “problemáticas” como Marla Singer (Helena Bonham Carter) e a conhecer “estranhos” como Tyler Durden (Brad Pitt). Misterioso e cheio de ideias, Tyler apresenta para Jack um grupo secreto que se encontra para extravasar suas angústias e tensões através de violentos combates corporais.
Nota IMDB

Trailer

Download (Legendado)
Áudio: Inglês
Legenda: Português
Formato: RMVB
Tamanho: 433MB
Mediafire

Download (Dublado)
Áudio: Português
Legenda: Não
Formato: RMVB
Tamanho: 450 MB
BitShare

 

AVISO DE SPOILER!

Opinião sobre o Filme

Alguns acharam o filme excepcional, revolucionário, um soco no estômago do consumismo da sociedade ocidental. Enquanto outros viram como uma ferramenta de corrupção da verdadeira revolução: A revolução da consciência.

Se por um lado “Clube da Luta” incomoda e mexe na ferida da sociedade de consumo, por outro prega um pseudo-anarquismo sem sentido e perigoso calcado apenas na violência e na destruição sem limites, tendo como personagens principais pessoas vazias e recalcadas com o “sistema”, que encontram a redenção no tal “Projeto Caos” idealizado por Tyler, e que consiste na destruição sistemática do mundo capitalista.
Mas para colocar o que no lugar? Essa gente louca e desajustada do filme que encontra o “sentido da vida” no tal Clube da Luta onde enchem uns aos outros de porrada?

Apesar da óbvia boa intenção dos realizadores do filme, Clube da Luta acaba passando a mensagem errada para os espectadores menos capacitados intelectualmente para “captar” o que existe por trás de toda a violência e loucura que se vê na tela.
Mas lembre-se: Os símbolos são neutros, somos nós que damos significado ao que estamos captando. É tudo nossa interpretação, então o que realmente importa é a mensagem que você retira. Por isso é importante aprender a lidar com a própria sombra.
O filme foi postado a pedidos, e também porque de fato, cria diversas reflexões sobre a nossa própria vida, nossos comportamentos e o comportamento da sociedade em geral. E também sobre o que acontece quando deixamos que parte de nós seja controlada pela inconsciência. Tyler é o inconsciente reprimido de Jack, que se manifestava sem a permissão consciente do mesmo.

Little by little you let yourself become, Tyler Durden

Nas palavras do Tyler: “Tudo que você quer ser… Eu sou. Eu pareço como você quer parecer, faço sexo como você quer fazer, sou esperto, capaz, e mais importante, sou livre de todas as maneiras que você não é.”
“As pessoas fazem isso todos os dias. Elas falam com elas mesmas. Elas vem a si mesmas como gostariam de ser.”
“Pouco a pouco, você permite a si mesmo se tornar… Tyler Durden.

Compartilhar:

About Bernardo Sommer

Tudo que sei é que nada sei, pois o certo é duvidoso mas a duvida é certa. Mantenho a mente aberta.